Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Gestor de Projeto Moderno

O Gestor de Projeto Moderno

26
Mai19

Consistência

Luís Rito

Olá a todos!

 

Hoje pensei em escrever-vos sobre um tema um pouco diferente do habitual. Hoje vamos falar de consistência, e porque considero ser um dos principais skills que deves desenvolver.

 

Por vezes fico admirado por tão poucas pessoas darem valor à consistência. É normal existir muita ambição para ser um melhor comunicador, um melhor negociador ou um melhor técnico, mas poucos falam em consistência.

 

Na minha opinião isso acontece porque a consistência é algo que não se vê, e que eventualmente se torna muito difícil de “mostrar” aos outros. A realidade é que não vais impressionar ninguém apenas ao dizer que és uma pessoa que aprecia rotina. Sim, a consistência vive muito da tua rotina do dia a dia. Em pleno século XXI as pessoas têm horror em dizer que vivem e que fazem o mesmo todos os dias. É muito mais sexy estar continuamente ocupado e a realizar coisas diferentes.

 

O que se entende então por rotina, e em que casos pode ser altamente benéfica? Bom, pensa da seguinte forma, achas que os melhores profissionais do mundo nascem com um dom? Na grande maioria digo-te que não, na realidade são o resultado de milhares de horas de prática. Por exemplo, o nadador olímpico Michael Phelps durante a sua adolescência treinou 365 dias por ano, durante 5 anos! São mais de 1800 dias seguidos onde não falhou um único treino. Fosse natal, fosse feriado ou fim de semana, fosse o seu aniversário, ele não falhou um único treino. Para mim é uma prova fantástica de consistência, que o levou a ser o melhor nadador do mundo.

 

Dou-te outro exemplo, quem me conhece sabe que sou um grande adepto de Fórmula 1. Não consigo imaginar desporto onde a consistência seja tão recompensada como na F1. Os pilotos treinam vezes sem conta até realizarem voltas de uma forma quase mecânica, e conseguem fazê-lo com diferenças de milésimos de segundo. Os mecânicos treinam centenas de vezes a troca de pneus, e durante cada fim de semana é recolhida imensa informação biométrica que depois é utilizada em simuladores para preparar a corrida. Todo este ritual se repete de 15 em 15 dias. É por isso que considero as equipas de F1 um grande exemplo de consistência e profissionalismo.

 

dcd1828no673.jpg

 

Na tua vida profissional podes beneficiar do mesmo. Por exemplo, tenta ir dormir sempre à mesma hora, o teu corpo vai-te recompensar por isso. Se descansares em condições o teu cérebro elimina toxinas e vais-te sentir ótimo no dia seguinte. Lê um pouco todos os dias, nem que seja 15m. Ao fim de um ano isso representa cerca de 5500 horas, e acredita que vais aprender muito em todas essas horas de leitura. Não será melhor que estares sempre em frente da TV? Se incluíres rotinas saudáveis no teu dia a dia vais-te melhorar pouco a pouco. É assim que se chega à excelência, muito trabalho duro, e uma grande dose de rotina e consistência.

 

A beleza é que podes aplicar esta disciplina a quase tudo na tua vida. Queres estar em forma? Sê consistente na tua forma de comer e na quantidade de vezes que treinas. Queres amealhar dinheiro? Sê consistente em poupar o mesmo montante todos os meses. Tudo depende da tua força de vontade e da tua disciplina. É por isso que considero a consistência o melhor dos skills a que podes ambicionar. Não te vou dizer que é fácil. Por exemplo, o teu corpo vai sempre resistir quando acordares às 5h da manhã para ires fazer um treino físico. Cabe-te a ti seres mentalmente forte para dizeres a ti próprio que não tens outra opção senão ir. Esta batalha é diária, e de cada vez que consegues fazê-lo vais ficar um pouco mais forte.

 

Vou-te dar outro exemplo prático. Queres aprender uma nova língua? Não existem impossíveis, apenas tens que traçar um plano de estudo, e segui-lo de forma consistente. Investe por exemplo 1h/dia no estudo do tópico que desejas aprender/melhorar, e cumpre de forma religiosa. Não deves falhar uma única sessão de estudo, porque quando isso acontece vais dar por ti a falhar mais vezes à frente. Se fizeres dessa atividade uma rotina vai-te custar muito menos, e antes que dês por isso vais-te tornar muito bom no que quer que desejes aprender.

 

A escrita de um post semanal neste blog é para mim uma rotina que tenho cumprido de forma consistente. Nem sempre é fácil investir tempo do meu fim de semana a escrever, mas garanto-vos que vencida a inércia inicial, é algo que me dá muito gosto.

 

Espero que tenham gostado, para a semana há mais 

 

Até lá, boas leituras

19
Mai19

Bright Challenge 2019

Luís Rito

Olá a todos, espero que se encontrem bem!

 

Esta semana tive a oportunidade de participar num evento que já atingiu os 7 anos de idade, e tem demonstrado ser um grande sucesso de ano para ano, o Bright Challenge 2019.

 

Este evento iniciou no passado dia 16 de Maio com uma conferência, cujo tema principal era a intervenção de um ePMO na transformação das empresas, e culminou no dia 17 com uma competição de gestão de projeto. Esta competição teve como participantes uma grande diversidade de empresas públicas e privadas, bem como de algumas universidades Portuguesas. O exército, a força aérea e a marinha também estiveram presentes. Com recurso a um simulador de gestão de portfólios e de projetos (de nome Simultrain), durante um dia todos os participantes foram testados ao limite das suas capacidades enquanto gestores de projetos e líderes de equipas.

 

IMG_1306.jpg

 

A abertura da conferência foi realizada pela Ariane Moussault (IPMA & ex-PMO Director na ASML Netherlands), que partilhou a sua experiência na implementação de um PMO na ASML, uma empresa que conta já com cerca de 20.000 colaboradores. Para quem não conhece a ASML, é uma empresa holandesa, fornecedora de sistemas de litografia para a indústria dos semicondutores. A empresa fabrica máquinas para produção de circuitos integrados, tais como RAM, chips de memória flash e CPU.

 

Uma das coisas que mais me agradou na apresentação da Ariane foi a forma como ela apelou diversas vezes à confiança que temos que conseguir construir com os nossos colegas de trabalho. Partir de uma base de confiança é sempre uma excelente forma de iniciar algo, tornando mais tarde o nosso trabalho mais leve e mais divertido. Ninguém se quer levantar todos os dias para ir trabalhar num ambiente hostil! Não é saudável.

 

Foram dadas ainda algumas dicas sobre como melhorar e aumentar a maturidade do PMO. Algumas das estratégias utilizadas foram:

 

1. Ter confiança nas pessoas – Este ponto já foi abordado acima. Devemos ter confiança nas pessoas, pois são as fundações para o que vem a seguir. Encara a confiança como o nível um de uma certificação que tens que atingir para que consigas obter certificações mais elevadas. Se não conseguires ultrapassar este ponto dificilmente vais conseguir construir um PMO de alto rendimento.

 

2. Criação de um ambiente de trabalho favorável – Para que consigas melhorar a tua equipa de forma significativa, deves ao máximo construir um ambiente que retire o melhor das pessoas e que as inspire a ser mais criativas e inovadoras. Alguns dos exemplos dados pela Ariane foram por exemplo a criação do dia da gestão de projetos, newsletter de gestão de projetos, partilha de experiências e conhecimento de gestão de projetos e também o café de sexta-feira da gestão de projetos. Neste último ponto, em algumas sextas-feiras era criado um ambiente amigável onde eram convidados os gestores de projeto para um pequeno-almoço informal, com bolos & bolachas e café & sumo, onde os principais problemas/oportunidades eram partilhados(as), sempre com o objetivo de melhorar continuamente.

 

3. Encontrar e desenvolver novos líderes – Identifico-me muito com este ponto, já que considero que um dos principais papéis de um líder é fazer crescer pessoas que um dia possam chegar a ser iguais ou melhores que eles. As organizações precisam desesperadamente de líderes e de agentes da mudança. A percentagem deste tipo de pessoas dentro de uma organização é muito pequena (diria 10%). Quantos mais líderes consigas desenvolver mais sucesso vai a tua empresa atingir.

 

Outra das ações tomadas pela Ariane foi dar prioridade à criação de prémios ao invés de KPI´s com o objetivo de penalizar. O estímulo positivo é sempre muito superior ao negativo. Além disso, os prémios não necessitam de ser sempre monetários. Existem outras opções, como por exemplo, ser galardoado como o gestor de projeto do ano, ou como o projeto do ano. Ambos os prémios podem ser amplamente divulgados dentro da empresa de forma a dar protagonismo a um trabalho bem feito. Outro exemplo pode ser premiar com formações, atividades radicais, bilhetes de cinema, teatro ou futebol.

 

Para além da Ariane, falaram ainda João Virott da Costa (Managing partner na Bright Partners), que abordou e defendeu a sua ideia de ter no ePMO um agente da mudança e transformação dentro das organizações e Luís Martins (Head of PMO & Project Management na Fidelidade), que nos apresentou a evolução do PMO na Fidelidade ao longo dos anos.

Para finalizar, existiu ainda um painel onde para além dos oradores já descritos acima, se juntaram Cristina Vás Tomé (Chief Revenue Officer do grupo Impresa) e Gonçalo Oliveira (COO da Tranquilidade). Considero que o painel foi muito interessante, já que foi dada a oportunidade aos participantes de realizar questões.

 

Em jeito de conclusão, recomendo o Bright Challenge a todas as empresas que queiram ter uma oportunidade de aprender num ambiente de simulação, beneficiando claro de o fazer juntamente com tantas outras empresas (este ano 25, cada uma com 4 elementos). A conferência é também uma oportunidade de aprender com alguns dos melhores profissionais de gestão de projetos. Um evento a repetir sem dúvida!

 

Por hoje é tudo, até à próxima 

 

14
Mai19

O Agile como cura para todos os males

Luís Rito

Olá a todos, espero que se encontrem bem .

 

Hoje quando acordei tive a certeza que tinha que vos escrever um pouco sobre Agile. Acontece que de à uns tempos para cá toda e qualquer organização que quer passar uma imagem de modernismo afirma que quer ou que já utiliza Agile.

 

Deixem-me desmistificar um ponto, o Agile não é algo novo, o Agile manifesto (documento criado por um grupo de pessoas que descreve os principais valores e princípios do que significa ser Agile) foi criado em 2001. Aliado ao facto de hoje em dia quase existir um ódio de estimação às metodologias tradicionais de gestão de projeto (vulgo Waterfall), o Agile foi ganhando cada vez mais protagonismo, nomeadamente a metodologia Scrum.

 

É certo e sabido que quando algo não funciona, tendemos a querer experimentar algo novo, e na minha opinião é neste ponto que nos encontramos com o Agile. Métodos de gestão tradicional foram utilizados durante anos, uns com mais sucesso que outros, portanto parece-me errado afirmar que todos os que seguem a metodologia Waterfall estão condenados ao fracasso. Ambas as metodologias são diferentes, existem projetos onde é mais benéfico utilizar Agile, enquanto noutros compensa mais utilizar por exemplo Waterfall.

 

Não caias no erro de tentar adaptar Agile a tudo só porque é moda, os resultados que vais obter vão ser medíocres. Não é por fazeres uns sprints e fazeres reuniões diárias que és Agile, é bem mais que isso. Abaixo explico-te quando deves preferir o Scrum a Waterfall e vice-versa.

 

Quando deves utilizar Waterfall

 

Projetos em que o principal cliente está ausente - Sempre que o teu principal cliente está ausente, e não quer ter visibilidade constante do projeto, torna-se muito difícil utilizar Scrum, já que grande parte da vantagem deste tipo de metodologia assenta no feedback contínuo. Não digo com isto que o Waterfall beneficia de não ter contacto com o cliente, a ausência deste no teu projeto nunca é boa, e quando vem tarde pode criar muitos dissabores. Contudo, em Waterfall é possível trabalhar com base em pouco feedback, por exemplo, fechando requisitos iniciais com o cliente e mostrando progresso dos principais milestones. Não é necessária a sua presença constante como no Scrum.

 

Projetos com um âmbito bem definido - Este tipo de projetos é ideal para metodologias Waterfall, já que um âmbito bem definido te permite construir um plano de projeto que te vai possibilitar fazer um acompanhamento de projeto mais científico (via EVM por exemplo). Com um âmbito bem definido também se torna mais simples realizar um planeamento realista e obter uma data de fim de projeto. O Waterfall também se torna quase obrigatório sempre que existe um contrato que limita as alterações ao âmbito inicial.

 

Projetos em que te encontras a trabalhar com outras organizações - Uma vez mais, refiro que o Agile funciona muito bem com comunicação constante entre todas as partes. Ao trabalhar com outras organizações pode ser ser complicado forçar um método de trabalho, principalmente quando este exige reuniões diárias e sprints bem definidas.

 

Projetos com Fixed-Price - A metodologia Waterfall é ideal para projetos fixed-price, já que existe uma grande pressão para cumprir com o âmbito acordado. Mudanças de âmbito são evitadas ao máximo, tendo que ser negociadas entre ambas as partes.

 

fig2a.png

 

Quando deves utilizar Agile

 

Projetos onde o principal cliente está muito envolvido - Quando o cliente está muito envolvido e deseja participar ativamente no projeto, o Scrum funciona de forma excecional, já que existem um conjunto de cerimónias (vocabulário Scrum para reuniões) onde a sua participação é encorajada.

 

Projetos onde o âmbito não está bem definido - Sempre que o âmbito não esteja muito claro, ou sempre que exista uma grande possibilidade de o alterar, o Scrum é a metodologia a utilizar. Nos dias que correm a mudança é algo constante nos projetos, motivo pelo qual o Agile ganhou tantos adeptos. O Scrum valoriza muito o custo e o prazo do projeto, motivo pelo qual sempre que existir mudança de âmbito, isso obriga a uma reavaliação das funcionalidades a desenvolver, já que algumas poderão não ser realizadas. Por outro lado, ao selecionar funcionalidades, obriga a uma prioritização por valor, onde supostamente as funcionalidades mais importantes são as que vão ser executadas em primeiro lugar.

 

Projetos em que a tua empresa é responsável por todo o processo - Se toda a tua empresa é responsável pelo projeto, torna-se mais simples uniformizar o método de trabalho. Recorda-te que não chega o projeto ser executado apenas por pessoas da tua empresa, já que necessitas de garantir que a equipa abraça os valores e princípios Agile. Vê mais sobre os valores e princípios Agile aqui. Apenas quando tens uma equipa que preencha estes requisitos deves avançar com uma implementação de Scrum.

 

Projetos Time & Materials - O Scrum é ideal para tipos de contrato time & materials, já que  normalmente não existem fortes restrições ao nível do âmbito a desenvolver, sendo assim desenvolvidas apenas as principais funcionalidades. Utilizando a análise de pareto como referência, a equipa opta por assumir que 20% das funcionalidades a desenvolver vão suprir 80% das necessidades do cliente para o projeto em questão.

 

E agora?

 

Com isto espero ter deixado um pouco mais claro quando deves ou não utilizar Agile e Waterfall. Não te esqueças que é possível em Waterfall fazer planeamentos mais iterativos, adoptando por exemplo a técnica de Rolling wave (planear por waves, começando com um bloco do projeto onde existe detalhe, e à medida que o projeto avança ir planeando as waves seguintes). O Waterfall não tem que ser rígido, podes adaptar consoante as tuas necessidades.

 

Deves ter ficado a pensar que sou um adepto do Waterfall, mas deixa-me que te diga que aprecio ambas as formas de trabalhar. Percebo o porquê do Agile ser tão famoso, já que oferece flexibilidade num mundo tão complexo e dinâmico como aquele em que vivemos nos dias de hoje. Apenas não acho justo falarmos tão mal de Waterfall, já que quando bem executado é bastante eficaz e robusto. Evita também ao máximo aplicar Agile a todo o tipo de projetos, tenta primeiro perceber se faz sentido, e caso entendas que sim, avança sem medos.

 

Por hoje é tudo, espero que tenhas gostado

 

Até à próxima 

 

07
Mai19

Boa gestão do tempo, utopia ou realidade?

Luís Rito

Olá a todos !


Hoje quero falar-vos um pouco sobre gestão de tempo. Nós seres humanos, tendemos a achar que temos sempre todo o tempo do mundo. É por isso que regularmente adiamos compromissos com amigos, visitas a familiares, idas a sítios que gostamos e até férias, tudo porque "pode ficar para outra altura". Também sinto que por vezes não damos valor ao nosso tempo, por exemplo, não entendo quem vai para uma fila durante 2 dias para adquirir um telemóvel. 


 Caso ainda não te tenhas apercebido, o tempo é algo que não podes comprar. Nasceste com uma quantidade finita, e cada dia que passa o depósito vai esvaziando um pouco mais. É por isso que é tão importante sermos tão bons na gestão do nosso tempo. Se passas horas e horas no teu trabalho e não tens disponibilidade para aproveitar a vida, diria que está na hora de tentares gerir melhor o teu tempo. O post de hoje está dividido num conjunto de dicas que podes começar a aplicar já hoje. Tenta ser inteligente com o tempo que tens disponível, e gere-o com a importância que ele merece.


Como deves gastar o teu tempo?


 Esta é talvez uma das questões mais importantes, mas não vou ser eu a dar-te a resposta, terá de partir inteiramente de ti. Para algumas pessoas a sensação de tempo bem gasto está em ler um bom livro, enquanto para outras está em ver séries no Netflix. De igual forma, alguns medem o sucesso que tiveram na vida através do seu emprego, enquanto outros o fazem pela felicidade e conforto que dão às suas famílias. Tens que decidir o que é mais importante para ti. Por exemplo, se queres passar mais tempo com a tua família, aprende a gerir o teu tempo no trabalho. É com base nisto que vais definir as tuas prioridades.


Definir prioridades


Pois é, se não estás a fazer isto então devias começar já hoje. Se tens muito por realizar, começa por fazer uma lista de todas essas tarefas. De seguida, deves categorizá-las com base na sua importância. Podes utilizar números, sendo o 0 ou 1 os mais prioritários e indo subindo até ao menos prioritário. Exemplo, imagina que é Domingo, estás por casa mas tens 3 tarefas que te estão a desviar a atenção e que te estão a impedir de aproveitar o teu dia de descanso:


1.Trabalhar no relatório executivo que tens que fechar até quarta-feira seguinte;
2.Planear as tuas férias em família;
3.Ver os últimos dois episódios da guerra dos tronos.


A prioridade vai depender muito da forma como escolhes investir o teu tempo. Se por exemplo a família é mais importante para ti vais optar por realizar em primeiro a tarefa 2. Se pelo contrário o teu trabalho te define, vais provavelmente dar prioridade à tarefa 1 em detrimento da 2. Se por outro lado gostas de viver o agora, vais realizar a tarefa 3, e as outras "logo se vê". O que quero dizer com isto é que não existem escolhas certas ou erradas, mas que deves sempre definir quais as tuas prioridades. Evita ao máximo tentar fazer todas as tarefas em simultâneo, já que não vais fazer bem nenhuma delas e todas vão acabar por ficar a meio.


Matriz de Eisenhower


Se ainda não conheces esta matriz, fica a saber que te permite definir prioridades a tarefas com base em duas variáveis diferentes,  a sua importância e a sua urgência. A ideia é que consigas colocar a tua tarefa em um de quatro quadrantes:


Importante e urgente - Deves canalizar todas as tuas energias neste tipo de tarefas. Algo importante e urgente é algo que deves ser tu a realizar, e deves fazê-lo o mais rápido possível. Ex: Fechar um relatório para amanhã, escrever um artigo, etc.


Importante e não urgente - Neste tipo de tarefas deves decidir. A ideia é decidires uma data para a sua realização e cumprires com o teu objetivo. Ex: Fazer pesquisa de um tema que consideras importante, melhorar um processo, etc.


Não importante e urgente - Para as tarefas não importantes mas urgentes, se puderes tenta delegar. Ex: Marcar reuniões, marcar hotéis & voos, passar a roupa a ferro, etc.


Não importante e não urgente - Deves eliminar ao máximo este tipo de tarefas, pois vão-te permitir ganhar muito tempo. Ex: Navegar nas redes sociais, ver televisão, etc.

 

Matriz-de-Eisenhower.png

 

Repara que a matriz também pode ser representada pelos números de 1 a 4, sendo o 1 as tarefas importantes e urgentes, o 2 as tarefas importantes e não urgentes, o 3 as tarefas não importantes e urgentes e finalmente o 4 as tarefas não importantes e não urgentes.


Definir blocos de tempo


 Esta é uma estratégia utilizada pelo CEO da Tesla e Space X, Elon Musk. A ideia é definires blocos de tempo para as tuas tarefas, e durante esses períodos apenas te concentrares na sua conclusão. Por exemplo, podes definir 1h, das 9h às 10h para responder a emails, das 10h05 às 11h, para fazer uma pesquisa sobre um tema na internet e das 11h15 até às 12h30 para concluir aquele relatório que te falta fechar. A chave aqui é concentrares-te em apenas uma tarefa de cada vez e esforçares-te ao máximo para a fechar. Se alguém te interromper durante o teu bloco de tempo, pede desculpa e diz que estás ocupado e que ficas disponível após terminares a tua tarefa. Claro está que durante esse período não deves fazer atividades que não estejam relacionadas com a tarefa que tens em mãos, como por exemplo navegar na internet ou ir ao facebook no telemóvel. Deves ainda deixar alguma folga entre os blocos de tempo, não és uma máquina e também precisas de descansar.


Dizer não ao multitasking


 Já deves ter percebido que não sou grande fã de fazer multitasking. Acho sinceramente que se estás a fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo vais acabar por não fazer bem nenhuma. Está mais que provado que o nosso cérebro não funciona em modo multi-tarefa. Recordo-me de ver um documentário onde foram selecionadas pessoas que se orgulhavam de ser exímios no multitasking. Colocaram todas essas pessoas à vez num carro e pediram-lhes para conduzir num percurso com obstáculos do dia a dia, como semáforos, passadeiras, peões, etc. A parte difícil é que a meio da condução ligavam-lhes por telemóvel e pediam-lhes a resposta a algumas questões, como por exemplo cálculos matemáticos simples. Todas as pessoas se saíram pessimamente, já que ou tomavam atenção à estrada e não conseguiam responder às perguntas, ou respondiam às perguntas e passavam semáforos vermelhos ou atropelavam peões! Foca-te numa tarefa de cada vez, acredita que a tua produtividade vai disparar para níveis como nunca viste.


Análise de Pareto


 Hoje em dia parece que quase tudo se pode aplicar à análise de Pareto. Esta análise diz que vais obter 80% dos teus resultados com 20% das tuas tarefas, logo deves dedicar especial atenção a essas tarefas importantes. É por isso que deves acima de tudo perceber quais são as atividades que criam mais valor, para que as consigas prioritizar. Podes por exemplo utilizar a matriz de Eisenhower para perceberes quais são essas tarefas.


Automatiza tarefas repetitivas


 Esta é fácil, se existe algo que possa ser automatizado, então não penses duas vezes. Fazer tarefas repetitivas vezes sem conta não cria qualquer tipo de valor. Existe uma frase do Bill Gates muito famosa:


“Eu escolho uma pessoa preguiçosa para fazer um trabalho difícil, porque uma pessoa preguiçosa vai encontrar uma forma fácil de o fazer”


Isto significa que trabalhar de forma inteligente é sempre melhor que trabalhar muitas horas de uma forma mecânica. Analisa todas as tuas tarefas atuais. Quais podem ser automatizadas? Se descobrires algumas, faz tudo para não teres de as fazer novamente de forma manual.


Organiza-te


 Não vais conseguir ganhar tempo se perdes meio hora a procurar algo que precisas. Organiza-te, arruma a tua secretária, arruma o teu ambiente de trabalho, arquiva os teus documentos de uma forma lógica e transforma a tua caixa de correio numa biblioteca de fácil acesso. Hoje em dia somos bombardeados com uma quantidade enorme de informação, se não mantiveres as coisas organizadas vais acabar por perder horas da tua vida à procura daquele ficheiro que tanto necessitas. Já reparaste que se fores a uma biblioteca pública o bibliotecário consegue descobrir o livro que queres rapidamente, independentemente da dimensão e do número de livros que existem nela? Isto só acontece porque tudo está organizado de uma forma lógica e de fácil acesso.


Manhã, tarde ou noite?


És uma pessoa da manhã, da tarde ou da noite? Existem pessoas que trabalham excepcionalmente bem pela manhã, enquanto outras o fazem quando todos estão a dormir no silêncio da noite. Tenho a certeza que sabes bem qual o teu tipo. Eu por exemplo sou uma pessoa da manhã, não tenho qualquer dificuldade em acordar, e é durante esta altura que sou altamente produtivo. Ao longo do dia vou perdendo força, e pela noite já estou pronto para ir dormir e não para trabalhar.
 Deves portanto atacar as tarefas mais difíceis na altura em que és mais produtivo. Se fores como eu, não deixes tarefas complexas para as 16h ou 17h, porque já não vais ter cabeça para as fazer a 100%.


Não sejas perfeccionista


 Esta dica pode ser particularmente difícil para algumas pessoas. Não caias no erro de ser demasiado perfeccionista. Não digo que isso seja mau, mas apenas é viável se tiveres somente uma tarefa para realizar. Como imagino que não seja o teu caso , o perfeccionismo vai acabar por atrasar todas as outras tarefas. Nos dias de hoje, a verdade é que nos exigem muito e espera-se que o façamos rápido, portanto o perfeccionismo só te vai atrasar ainda mais. Uma forma excelente de ganhares tempo é aprenderes a aceitar que o teu trabalho não tem que ser perfeito, basta apenas que seja muito bom.


Aprende a dizer que não


 Parece um cliché mas não. Deves aprender a dizer que não a algumas pessoas. Não tens que fazer tudo o que te pedem, principalmente se vai atrasar tarefas que para ti são mais importantes. O que é importante para alguém pode não o ser para ti, portanto não sacrifiques o teu trabalho por uma tarefa que muito provavelmente nem te é relevante. Este é de resto um dos maiores conselhos para os gestores de projeto, já que devem tentar maximizar o trabalho não feito. Isto não significa que deves andar folgado e sem nada para fazer, não é nada disso. O que quero dizer é que se tens muitas tarefas, e se andas a sacrificar tempo pessoal para as fazeres, então não aceites mais (se te for possível).


Não percas tempo à espera de algo


Finalmente, não percas tempo à espera de algo. Se necessitas de uma validação para avançar, ou se para fazeres testes necessitas que um desenvolvimento esteja concluído, aproveita para aprenderes mais sobre algo relevante para ti. O trabalho por vezes não é constante, e existem picos de atividade, uns mais altos e outros mais baixos. Se estás num pico mais baixo e tens pouco trabalho durante um dia ou dois, investiga mais sobre um tema que te interesse. Podes por exemplo refletir sobre como melhorar um processo no teu trabalho, podes ler mais sobre gestão de projetos, aprender como se faz gestão de risco, fazer networking na tua empresa ou fora dela, etc…as possibilidades são infinitas. O que nunca deves fazer é “queimar tempo”, lembra-te que o tempo é o teu ativo mais precioso.

 

Espero que estas dicas te sejam importantes, a mim foram-me ajudando muito ao longo do tempo .


Até à próxima, e até lá, boas leituras!

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Livro Liberdade Financeira